A minha decisão de melhorar o meu francês (verão de 2016)

Autora: Inês Carvalho

No verão passado decidi que era altura de desenferrujar o francês! Queria dedicar-me a uma língua, mas não sabia por qual começar, então optei pelo francês… O que me levou a escolher o francês? O glamour da língua francesa? O facto de ser uma das línguas mais faladas?

Nada disso! Simplesmente as seguintes circunstâncias:

  • Paris. Fui a Paris nas férias… excelente oportunidade para tentar fazer-me entender em francês e tropeçar na língua sem qualquer tipo de vergonha.
  • Italki. Arranjei um professor de francês pelo italki (https://www.facebook.com/frenchloverdaily/) com quem realizo um intercâmbio de português-francês com alguma regularidade. Ele também é poliglota, então é divertido quando começamos a comparar as línguas todas! (“ah esta palavra escreve-se da mesma maneira em português e francês, mas em espanhol é diferente” “até em alemão me lembro da palavra mas em [PT/FR] não”)
  • L’amour. O meu namorado da altura falava francês fluentemente. Aproveitei para o torturar com o meu francês macarrónico diariamente durante o verão.
  • É a língua que falo melhor de entre as que falo pior. Por isso é aquela em que poderei atingir o nível B2 (intermédio alto) mais rapidamente.

Se queremos escolher uma língua para aprender mas não nos conseguimos decidir por nenhuma, escolher aquela que nos oferece mais possibilidades de a praticarmos pode ser uma boa opção!

 Debaixo da saia da Torre Eiffel

Confesso que tenho tido pouco tempo para me dedicar ao francês. De facto, a minha dedicação ao francês tem sido para lá de escassa… No entanto, já noto algumas melhorias mesmo com o pouco que tenho feito!

Mas afinal… o que tenho feito?

  • Ver documentários em francês no YouTube é um excelente meio de aprender imenso e adquirir cultura geral enquanto pratico a língua. Como estou a dar aulas de turismo, procuro ver vídeos sobre o tema, porque assim, por um lado, vou conhecendo exemplos e casos práticos que me podem ser úteis para as aulas que dou na universidade (gosto desta série: “le dessous des cartes”) e por outro lado vou aprendendo francês.
  • Estou a ler um livro em francês: La femme rompue, de Simone de Beauvoir. Excelente exercício (e livro)!
  • No meu ipod tenho imensas faixas com diálogos em francês. Ideal para ir ouvindo enquanto ando pela rua!
  • Sessões quinzenais de intercâmbio com o Angel… meia hora francês e meia hora português! Hoje aprendi que em francês se usa a mesma palavra para upload e download (télécharger), e que apenas se muda a preposição para transmitir a diferença entre ambos os conceitos (“sur” e “depuis”, respetivamente)

  Minnie na EuroDisney

Sei que é muito pouco esforço e trabalho comparado com aquele que habitualmente dedico à aprendizagem das línguas, mas o tempo é limitado e pouco é ainda assim melhor do que nada. Noto algumas melhorias e fico surpreendida pelo facto de conseguir compreender praticamente tudo o que se diz nos documentários!

O que poderia fazer adicionalmente?

  • Escrever textos! Para mim é a melhor forma de aprender uma língua  Tem-se tempo para refletir quando se escreve e há espaço para aprender com os erros.
  • Ter mais intercâmbios com o Angel  Mas temos ambos dificuldade em arranjar tempo…
  • Ter um caderninho para assentar de forma sistemática o novo  vocabulário e ir olhando para ele diariamente.
  • Neste momento, apenas vejo documentários em francês no YouTube. Mas poderia também fazer exercício, yoga ou meditação com vídeos do YouTube em francês… ou procurar tutoriais de desenho, penteados ou maquilhagem em francês… bem como ouvir música também em francês…
  • Deveria rever de forma sistemática toda a gramática desde o nível A2! E fazer exercícios de gramática como quem faz sudoku ou palavras cruzadas

É importante estabelecer uma meta?

  • Claro que sim! O meu objetivo é atingir o nível B2. Talvez venha a realizar o exame DELF B2 (http://www.ciep.fr/pt/delf-dalf) ou outro exame de nível B2. Mas só me posso candidatar quando tiver melhorado substancialmente… ainda estou longe do objetivo e a caminhar a passos muito curtos! Pode ser que ao estabelecer este objetivo publicamente me sinta obrigada a esforçar-me mais para o atingir  🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *